Livros que Marcaram, Parte I

Eu estava vendo em muitos blogs literários listinhas sobre os melhores livros das nossas vidas e resolvi fazer a minha versão dessa lista.
Acho muito complicado enumerar os melhores livros que eu já li, mas posso citar alguns livros responsáveis por terem marcado minha infância, ou minha adolescência, ou por terem despertado meus olhos para a leitura.

1. O primeiro livro que marcou a minha vida, muito antes deu sequer aprender a ler foi Longe É Um Lugar que Não Existe, do Richard Bach.
Meu pai lia esse livro para mim na infância repetidas vezes e quanto mais ele lia, mais eu pedia para ele reler. A ideia de poder viajar dentro do coração das aves e de poder ver o mundo inteiro bem miudinho lá do alto, além de receber conselhos muitos sábios de presente dos pássaros, me fascinava. Acho que crescer ouvindo um livro filosófico desses realmente contribuiu para minha formação e me fez tentar inúmeras vezes encontrar o anel dado de presente para a pequena Ray. O importante era nunca parar de tentar voar dentro dessas aves, e eu nunca parei.

2. Qualquer amigo meu hoje em dia ainda lembra como a leitura de Yargo, de Jacqueline Susann foi determinante na minha pré adolescência. Eu devia ter uns 11 pra 12 anos quando esse livro veio parar na minha mão e eu não fazia a menor ideia de como aquila história iria me afetar. Yargo narra a história do planeta mais avançado do sistema solar, cujos habitantes atingiram a chamada perfeição e eliminaram de sua sociedade os sete pecados capitais, os sentimentos e emoções, os relacionamentos pessoais, as guerras, e por aí vai… Tudo aquilo que faz a gente sofrer de certa forma. A única grande ambição do yargoniano é o conhecimento, o estudo. Isso até eles, por engano, trazerem uma terráquea para o planeta deles e se surpreenderem com seus sentimentos, suas lágrimas… sua humanidade. Sem dúvidas um grande livro, um marco na minha vida.

3. Esse livro do ganhador do prêmio Nobel da literatura, Mario Vargas Llosa, marcou a fase em que eu fui saindo dos meus livros infanto-juvenis e entrando nesse novo mundo de livros “de gente grande”. Nessa época eu lembro que já tinha lido O Caçador de Pipas, mas As Travessuras da Menina Má me emocionou como nenhum outro livro. Mario Vargas me tocou profundamente a cada página dessa maravilhosa narrativa de amor um tanto às avessas. Uma história de amor diferente, única, doentia até. Os personagens dessa obra são tão bem construídos, tão sólidos… Eles te levam a uma grande reflexão sobre a ideia que temos do amor. Enfim, um livro que todo mundo deveria ter na sua estante.

4. Eu me lembro que peguei esse livro aleatoriamente na livraria só porque a capa me chamou atenção. Levei para casa sem nem saber do que se tratava e qual a minha surpresa quando descubro essa preciosidade em minhas mãos. A Montanha e o Rio, de Da Chen, se passa na época de crise ditatorial da China e narra a história de dois meio-irmãos que crescem sem se conhecer e por obra do destino acabam se apaixonando pela mesma garota. Além disso, os dois irmãos se tornam inimigos políticos, pois enquanto um faz carreira no Exército, o outro vira líder do partido de oposição e lutam entre si até a morte. A menina pelo qual os dois são apaixonados não sabe que atitude tomar diante da guerra declarada entre os dois, que genuinamente se odeiam. Um livro cheio de paixão e de relatos reais da China, que também promete tirar muitas lágrimas dos seus olhos. Foi a primeira vez que eu solucei de tanto chorar ao ler um livro e tive dificuldade em terminar de ler, pois eu sentia o peso do enorme sofrimento dessas personagens.

5. Para finalizar não poderia entrar nessa lista nada diferente do que Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Márquez. Considerada a segunda obra mais importante de toda a literatura hispânica, Cem Anos de Solidão apresentou para mim e para o mundo o gênero Realismo Fantástico, que me cativou como nenhum outro gênero jamais o fez. Através da mágica cidade de Macondo e do sábio e mistorioso ser Melquíades, eu vi nesse livro uma metáfora não só para a história dos países latino americanos, mas sim para todo o mundo. Essa obra faz jus a todos os prêmios e elogios que recebe. Um livro que te marca.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Livros que Marcaram, Parte I

  1. Mês que vem lerei ‘Resgate no mar’ de Richard Bach, já esta tudo programado ;)
    Nunca li Vargas Llosa, mas deste ano ele não me escapa.
    Sobre Garcia Marques, li apenas ‘Memórias de Minhas putas tristes’ e é lindo, desde o título até a última pontuação. Bem provável que ‘Cem anos de solidão’ seja um dos livros de 2014.
    Adorei o post, até o próximo ;)

  2. Olá, realmente interessante a ideia de fazer listas dos livros que nos marcaram, assim indicamos aqueles titulos que acreditamos que devem ou merecem ser lidos. Confesso não haver lido nenhum dos livros que você citou, mas é ai que mora a graça da coisa, conhecer obras ou receber incentivo as já conhecidas, mas que deixaram de ser lidas, seja qual for o motivo.
    Ah, e como vão as leituras para o desafio? Confesso que estou em falta com minha, nem comecei ainda, mas pretendo me atualizar em breve e, quem sabe, não faço minha listinha dos livros que me marcaram também?
    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s